Por Arnobio Rocha no seu Blog

“Ouso ao mundo lançar-me: aos bens e aos males;
Arcar com temporais; sentir sem medo
O estrondo de um naufrágio” ( Fausto – Goethe)

A mais longa e vitoriosa direção política de esquerda no Brasil está fechando seu ciclo histórico, quebrada por um duro golpe, não por uma derrota eleitoral, ou sindical, mas muito mais forte, uma bem urdida e articulada trama politica-jurídica, que destrói não apenas ela, a direção, mas a Democracia como espaço de disputa e ameaça a Política como elemento fundamental de vivência social organizada.

Essa direção em queda, foi forjada na luta contra a Ditadura, dos escombros dos grupos dizimados pela repressão, surgiu um ousado grupo de novos lutadores, fundamentalmente no seio sindical, que construiu oposições sindicais, tomou os principais sindicatos das mãos dos pelegos, fundou a CUT, o PT. Aliado aos artistas, estudantes, intelectuais, os trabalhadores…