Depois de ter assumido publicamente a defesa da antecipação das eleições para a presidência da República, qualquer notícia da Folha deve ser vista dentro de um contexto estratégico do “seu” projeto de fazer com que o PSDB volte ao governo federal.

O vazamento do áudio se insere neste contexto e busca tornar irreversível a bandeira defendida pelo jornal que atua como porta-voz da elite.

Não há qualquer compromisso com a informação, com a pluralidade ou com a verdade. A divulgação é parte de sua estratégia para que o que ela (Folha) deseje passe a ser clamor nacional. É uma jogada inteligente e que mostra o quanto este discurso encontra amparo.

Comenta-se que o teor das gravações está, desde fins de março, com a…