Visões, por Bertolt Brecht

14 fev

VOU CONSTRUIR UM HOSPÍCIO
> https://gustavohorta.wordpress.com/2019/02/14/vou-construir-um-hospicio/

… Vou construir um hospício
Para a todos abrigar
Vou construir um hospício
Para todos desse lugar

Vou construir um hospício
E lá eu pretendo morar
Vou construir um hospício
Mandar para lá e para cá

Para andar pra lá e pra cá
E nunca sair do lugar
Com vergonha a infernizar
À vergonha infernizar

Infernizar como o capeta faz
Num hospício, um lugar vulgar
Minha mente que não é nada sagaz
Sem mente, somente mente fugaz

Somente mente, mente demais.

Mente fugaz que mente para danar
Danado que nem o capeta
Vou construir um hospício
Lá vai ser um belo lugar
Cheio de gente doida
Cheio de gente endoidecida
Gente pra validar, pra vender e pra dar, danada como ali se é 

Vou construir um hospício que nada
Hospício aqui já há
É hospício em todo lugar
Em todo tempo hospício
Hospício onde quer que se vá

Hospício aqui é efêmero
Inócuo nada mais pode ser
Se doidos e malucos abundam
Não serei o único sadio
Todos errados e só eu certo
Todos errados e sonho certo

Todos os errados ao meio serrados
Corações ao meio partidos
Sangue que escorre no meio do cerrado

Só eu certo, único certo, logo algo errado há. Assim não há de ser.

Hospício acabo de desistir de fazer
Hospício acabo de desistir de construir
Preciso encontrar o meu lar
Que pode ser que nem seja aqui, nesse lugar
Mesmo que em algum lugar há de ser
Mesmo que lugar de doido seja no hospício
Refugado e escondido
Ali depositado naquele canto recôndito.

Triste assim o fim do doido que achava
Que sua pena era uma arma
Que tanto a sua pena amava
Que ao final seu coração desarma
E no fim das contas, só contas

Quem sabe um dia
Eu venha mesmo a construir o meu hospício
Novinho
Em algum lugar todo vermelho.

gustavohorta.wordpress.com

Diálogos Essenciais

PARADA DO VELHO NOVO

Eu estava sobre uma colina e vi o Velho se aproximando, mas ele vinha como se fosse o Novo.

Ele se arrastava em novas muletas, que ninguém antes havia visto, e exalava novos odores de putrefação, que ninguém antes havia cheirado.

A pedra passou rolando como a mais nova invenção, e os gritos dos gorilas batendo no peito deveriam ser as novas composições.

Em toda parte viam-se túmulos abertos vazios, enquanto o Novo movia-se em direção à capital.

E em torno estavam aqueles que instilavam horror e gritavam: Aí vem o Novo, tudo é novo, saúdem o Novo, sejam novos como nós! E quem escutava, ouvia apenas os seus gritos, mas quem olhava, via pessoas que não gritavam.

Assim marchou o Velho, travestido de Novo, mas em cortejo triunfal levava consigo o Novo e o exibia como Velho.

O Novo ia preso em ferros e coberto…

Ver o post original 77 mais palavras

Anúncios

Fenafisco contra a bilionária pedalada de Bolsonaro que ferra os velhinhos; leia a íntegra

14 fev

VOU CONSTRUIR UM HOSPÍCIO
> https://gustavohorta.wordpress.com/2019/02/14/vou-construir-um-hospicio/

… Vou construir um hospício
Para a todos abrigar
Vou construir um hospício
Para todos desse lugar

Vou construir um hospício
E lá eu pretendo morar
Vou construir um hospício
Mandar para lá e para cá

Para andar pra lá e pra cá
E nunca sair do lugar
Com vergonha a infernizar
À vergonha infernizar

Infernizar como o capeta faz
Num hospício, um lugar vulgar
Minha mente que não é nada sagaz
Sem mente, somente mente fugaz

Somente mente, mente demais.

Mente fugaz que mente para danar
Danado que nem o capeta
Vou construir um hospício
Lá vai ser um belo lugar
Cheio de gente doida
Cheio de gente endoidecida
Gente pra validar, pra vender e pra dar, danada como ali se é 

Vou construir um hospício que nada
Hospício aqui já há
É hospício em todo lugar
Em todo tempo hospício
Hospício onde quer que se vá

Hospício aqui é efêmero
Inócuo nada mais pode ser
Se doidos e malucos abundam
Não serei o único sadio
Todos errados e só eu certo
Todos errados e sonho certo

Todos os errados ao meio serrados
Corações ao meio partidos
Sangue que escorre no meio do cerrado

Só eu certo, único certo, logo algo errado há. Assim não há de ser.

Hospício acabo de desistir de fazer
Hospício acabo de desistir de construir
Preciso encontrar o meu lar
Que pode ser que nem seja aqui, nesse lugar
Mesmo que em algum lugar há de ser
Mesmo que lugar de doido seja no hospício
Refugado e escondido
Ali depositado naquele canto recôndito.

Triste assim o fim do doido que achava
Que sua pena era uma arma
Que tanto a sua pena amava
Que ao final seu coração desarma
E no fim das contas, só contas

Quem sabe um dia
Eu venha mesmo a construir o meu hospício
Novinho
Em algum lugar todo vermelho.

gustavohorta.wordpress.com

BLOG DOS SERVIDORES DA PREVIDÊNCIA SOCIAL

14.02.2019
Do BLOG DO ESMAEL MORAIS, 13.02.19
Por Esmael Morais

A Fenafisco (Federação Nacional do Fisco Estadual e Distrital) manifestou nesta quarta-feira (13), por meio de nota oficial, preocupação com a pedalada do presidente Jair Bolsonaro (PSL) que ferra com a previdência pública (seguridade social).

Bolsonaro assinou decreto na sexta (8) transferindo mais de R$ 600 bilhões do Orçamento Fiscal e da Seguridade Social da União para pagamentos de encargos financeiros da União e para transferência a Estados, Distrito Federal e Municípios.

LEIA TAMBÉM

Bolsonaro pedalou R$ 606 bilhões em cima dos velhinhos. Impeachment ou não vem ao caso?

“Não bastasse o já depredado orçamento da Seguridade Social, sobretudo por conta da DRU, que lhe subtrai 30%, o País é tomado de assalto com o ato presidencial que autoriza a retirada de R$ 600 bilhões também para cobrir encargos financeiros do governo, um valor que deve ir em grande parte…

Ver o post original 300 mais palavras

VOU CONSTRUIR UM HOSPÍCIO

14 fev

Vou construir um hospício

Screenshot_20190214-094428

… Vou construir um hospício
Para a todos abrigar
Vou construir um hospício
Para todos desse lugar

Vou construir um hospício
E lá eu pretendo morar
Vou construir um hospício
Mandar para lá e para cá

Para andar pra lá e pra cá
E nunca sair do lugar
Com vergonha a infernizar
À vergonha infernizar

Infernizar como o capeta faz
Num hospício, um lugar vulgar
Minha mente que não é nada sagaz
Sem mente, somente mente fugaz

Somente mente, mente demais.

Mente fugaz que mente para danar
Danado que nem o capeta
Vou construir um hospício
Lá vai ser um belo lugar
Cheio de gente doida
Cheio de gente endoidecida
Gente pra validar, pra vender e pra dar, danada como ali se é 

Vou construir um hospício que nada
Hospício aqui já há
É hospício em todo lugar
Em todo tempo hospício
Hospício onde quer que se vá

Hospício aqui é efêmero
Inócuo nada mais pode ser
Se doidos e malucos abundam
Não serei o único sadio
Todos errados e só eu certo
Todos errados e sonho certo

Todos os errados ao meio serrados
Corações ao meio partidos
Sangue que escorre no meio do cerrado

Só eu certo, único certo, logo algo errado há. Assim não há de ser.

Hospício acabo de desistir de fazer
Hospício acabo de desistir de construir
Preciso encontrar o meu lar
Que pode ser que nem seja aqui, nesse lugar
Mesmo que em algum lugar há de ser
Mesmo que lugar de doido seja no hospício
Refugado e escondido
Ali depositado naquele canto recôndito.

Triste assim o fim do doido que achava
Que sua pena era uma arma
Que tanto a sua pena amava
Que ao final seu coração desarma
E no fim das contas, só contas

Quem sabe um dia
Eu venha mesmo a construir o meu hospício
Novinho
Em algum lugar todo vermelho.

gustavohorta.wordpress.com

ALGO DEU ERRADO… HOJE SOMOS ZUMBIS.
E EU QUERO MUITO LARGAR TUDO PRA LÁ.

VONTADE MUITO GRANDE DE SUMIR

*A Direita e sua Guerra Ideológica Contra a América Latina

13 fev

ALGO DEU ERRADO… HOJE SOMOS ZUMBIS.
E EU QUERO MUITO LARGAR TUDO PRA LÁ

VONTADE MUITO GRANDE DE SUMIR
> https://youtu.be/xwPCfDhSAko

radio o proletário

Do: AUCA EN CAYO HUESO

A direita e sua guerra ideológica contra a América Latina

Frei Betto visita Cuba . Ele participa ativamente dos eventos políticos, culturais e sociais que ocorreram em Cuba nos dias de hoje (13/02/2019). E não é por acaso, porque no meio de circunstâncias adversas que está sendo experimentado na América Latina, a Revolução Cubana deve reforçar os seus movimentos de esquerda e aprender com os erros, não só nos países da região, mas também da sua própria.

Entre as reuniões de Pedagogia 2019 ou a 28 Feira Internacional do Livro em Havana levou tempo para compartilhar com os trabalhadores do jornal Granma, (órgão oficial do Comitê Central do Partido Comunista de Cuba). Em um discurso, ele voltou ao tema dos desafios que os países de esquerda latino-americanos enfrentam hoje e como a direita vem ganhando terreno.

“Nós, da esquerda, ainda somos analfabetos em redes digitais, não sabemos trabalhar com elas, e a direita tem…

Ver o post original 1.588 mais palavras

ZUMBIS

13 fev

ALGO DEU ERRADO… HOJE SOMOS ZUMBIS.
E EU QUERO MUITO LARGAR TUDO PRA LÁ

VONTADE MUITO GRANDE DE SUMIR

A vaga reservada no topo da cadeia alimentar, por Maria Cristina Fernandes

13 fev

DIRETO PARA OS BOLSOMINIOS!!! – Joselice Costa Silva

Para curar filho gay, porrada.
Para deputado gay, ameaça de morte.
Para vereadora negra, lésbica e da favela, execução.
Para quem não é feia, estupro.
Para petralhada, fuzilamento.
Para doente mental, choque elétrico.
Para divergência política, tortura.
Para meninos, azul e para meninas, rosa.
Para Paulo Freire, Perseguiçâo.
Para ganhar eleição, kit gay e mamadeira de piroca.
Para Trump, continência.
Para Dilma, o terror de Ustra e a morte por infarte ou câncer.
Para estudar na Universidade, tem que ser rico.
Para aposentar, 40 anos de de contribuição.
Para trabalhar, ausência de direitos.
Para quem confessou crime, ausência de processo.
Para os índios, as regras determinadas pelos latifundiários.
Para as empresas de alimentação, a fiscalização delas mesmas.
Para a preservação ambiental, redução de proibições, multas e punições.
Para a produção rural, muito agrotóxico.
Para as estatais, privatização.
Para o governo, sigilo.
Para as mílicias, o poder.
Para o Queiroz, hospital Albert Einstein.
Para enriquecer, laranjas.
Para reduzir a corrupção, redução da transparência e das investigações.
Para a escola, a distância.
Para eleição, caixa 2.
Para qualquer um, armas.
Para os cidadãos dos EUA, ausência de reciprocidade.
Para Davos, mico internacional.
Para a política internacional, isolamento.
Para o salário Mínimo, redução.
Para os auxílios moradia de juízes, aumento.
Para a primeira dama, cheques.
Para militares, juízes e membros do legislativo, previdência sem reforma.
Para os PMs, liberdade total para matar.
Para Venezuela, guerra.
Para a exportação, redução de mercado.
Para a pesquisa acadêmica, censura e redução de investimentos.
Para a família do presidente, impunidade.
Para ninguém, cultura.

E ainda querem que eu torça pra “Dar certo”… a ignorância reina.”

É. TÁ PASSANDO DA HORA DA SENZALA BOTAR FOGO NO ENGENHO.

Diálogos Essenciais

Publicado no Valor Econômico.

Maria Cristina Fernandes, para equilibrar-se na posição em que se encontra como colunista do jornal Valor Econômico, das Organizações, precisa, sempre que escreve um texto contra o governo patronal, qualquer governo patronal, fazer críticas ao PT. É uma espécie de salvo-conduto. Se o assunto é a extinção da Previdência Social para os jovens que entrarão no mercado de trabalho e sua substituição por uma espécie de poupança compulsória, administrada por terceiros, por que ela não foca exclusivamente neste assunto, atual e urgentíssimo, informando ao público leitor detalhes desse golpe de mestre da dupla Guedes-Bolsonaro?. A conclusão é simples: o público leitor do jornal Valor Econômico é o seleto mundo dos empresários, a elite predatória nacional e estrangeira. Para eles não servem a omissão e a manipulação grotesca praticadas pelo Extra, Istoé, Veja, Estadão, O Globo, a imprensa engana-bobo nacional. Para esse mundo empresarial o Valor Econômico…

Ver o post original 902 mais palavras

Plea Bargain –> no Brasil, transformado na indústria das delações “super” premiadas!

13 fev

É . TÁ PASSANDO DA HORA DA SENZALA BOTAR FOGO NO ENGENHO.

ZÉducando

Da série: o que é bom para os EUA é bom para o Brasil ?


Plea Bargain: Prender mais pessoas vai melhorar a segurança no Brasil?

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, lançou um pacote anticorrupção e antiviolência, o Projeto de Lei Anticrime, que visa alterar 14 leis no Código Penal, no Código de Processo Penal e na Lei de Crimes hediondos.

Entre todas as propostas, inclui a criminalização do Caixa 2 e a ampliação da definição do que passa a ser considerado legitima defesa no que tange a agentes estatais (amplamente criticada por especialistas).

manchetes printadas: Policiais matam homem por confundirem guarda-chuva com arma; Policial atira em adolescente após confundir skate com arma; Policial confunde bíblia com arma e amata coletor de lixo; Policial confunde taco de sinuca com arma e mata motorista; Policial confunde clientes de pizzaria com assaltantesmanchetes printadas: Policial do Bope confunde furadeira com arma e mata morador do Andaraí; PMs confundem saco de pipoca com drogas e matam adolescente no RJ; Policial confunde celular com arma e atira em jovem; PM confunde celular com arma e mata jovem com tiro nas costasPolicial confunde ferramenta com arma e mata dois mototaxistas; Policial mata adolescente por engano; Policial mata colega por engano durante ocorrência de assalto; Policial militar mata dois jovens por engano no Rio de Janeiro

Mas uma das propostas menos comentadas foi a que mais chamou atenção dos defensores dos diretos humanos: o Plea Bargain tupiniquim.

O que é esse tal de ‘Plea Bargain’?

De maneira rasa, o termo significa “acordo judicial” ou “barganha” em português. Em outras palavras, Moro propõe que o Brasil importe…

Ver o post original 1.440 mais palavras